Programa Cristiana Tejo | Bandeira branca enfiada em pau forte

Paulo Bruscky (Brasil) – POEMA 1979 – super 8 transferido para digital 3’
Paulo Bruscky (Brasil) – Xeroxfilme: LMNUWZ, fogo! 1980 – super 8 transferido para digital 0’25’’
Paulo Bruscky (Brasil) – Xerofilme: aépta 1982 – super 8 transferido para digital 4’45’’
Paulo Bruscky (Brasil) – VIA CRÚCIS 1979 – super 8 transferido para digital 7’40’’
Gabriel Mascaro (Brasil) | Sonho de deriva, 2013, 5’
Jonathas de Andrade (Brasil) | O levante, 2012, 8’
Barbara Wagner e Benjamin de Burca (Brasil / Alemanha) | Faz que vai, 2015, 12’

22h00 | Programa Cristiana Tejo

BANDEIRA BRANCA ENFIADA EM PAU FORTE

Duração: 40’

Este programa concentra-se no experimentalismo audiovisual do Recife, um dos mais antigos e prolíficos centros do Brasil, tendo como ponto irradiador a trajetória de Paulo Bruscky, artista multimídia pioneiro em várias frentes brasileiras incluindo a videoarte, a partir do final dos anos 1970. Suas obras em Super 8, vídeo e U-Matik são experiências com a própria linguagem do filme, comentários humorados sobre a questão da representação na arte e a cidade como object trouvée. Assim como ocorreu mundialmente, a produção inicial de videoarte trouxe um novo sopro de experimentação para a linguagem audiovisual que começava a se cristalizar por conta do apelo comercial. Neste sentido, é interessante notar que este foi um dos momentos de grande fertilidade do audiovisual, em que cineastas e artistas plásticos convergiam atenção e energia para a expansão das possibilidades estéticas da imagem em movimento. O programa faz um contraponto com o momento atual em que a produção fílmica de Pernambuco ganha novamente densidade e importância nacionais e o trânsito de linguagens volta a ocorrer de maneira intensa, mas trazendo novas questões de forma e de conteúdo. Os artistas escolhidos emergiram na primeira década de 2000 no Recife e afora mesclarem as fronteiras dos campos do cinema e das artes visuais, problematizam com grande potência questões políticas locais internacionalizando-as, a exemplo do direito à cidade e a luta de grupos sociais por visibilidade além dos clichês identitários.

Cristiana Tejo, 2017

Claustro do Museu da Marioneta

Domingo, 27/8

22H00Programa Cristiana Tejo

Bandeira branca enfiada em pau forte

Paulo Bruscky (Brasil) – POEMA 1979 – super 8 transferido para digital 3’
Paulo Bruscky (Brasil) – Xeroxfilme: LMNUWZ, fogo! 1980 – super 8 transferido para digital 0’25’’
Paulo Bruscky (Brasil) – Xerofilme: aépta 1982 – super 8 transferido para digital 4’45’’
Paulo Bruscky (Brasil) – VIA CRÚCIS 1979 – super 8 transferido para digital 7’40’’
Gabriel Mascaro (Brasil) | Sonho de deriva, 2013, 5’
Jonathas de Andrade (Brasil) | O levante, 2012, 8’
Barbara Wagner e Benjamin de Burca (Brasil / Alemanha) | Faz que vai, 2015, 12’

CRISTIANA TEJO
(Brasil)

Cristiana Tejo é curadora independente e doutoranda em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco. Foi diretora do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães do Recife e curadora de arte contemporânea da Fundação Joaquim Nabuco. Foi co-curadora do 32ª Panorama da Arte Brasileira – MAM/SP e do programa Rumos Artes Visuais Itaú Cultural (2005/2006). Participou de diversas comissões de selecção e de premiação, a exemplo de Prêmio Marcantonio Vilaça (2006/2014), Solo Projects Latin America Arco Madrid (2013) e BACA Prize, Maastricht (2014). Sua investigação abrange práticas curatoriais sob a chave descolonial, sociologia da arte e estudos curatoriais desde a América Latina. Desde 1999 pesquisa o artista Paulo Bruscky sobre o qual escreveu Paulo Bruscky – Arte em Todos os Sentidos e curou diversas exposições entre elas a Sala Especial da X Bienal de Havana e artevida – arquivo, Rio de Janeiro, 2014. Contribui frequentemente para as revistas Select (São Paulo) e Terremoto (Mexico). Vive e trabalha entre Lisboa e Recife.